Se viste a terceira temporada da Casa de Papel, de certeza que ouviste falar do Banco de Espanha e da sua caixa forte. Se já passaste pela Praça de Cibeles de certeza que viste o sumptuoso edifício numa das esquinas… E se já fizeste uma visita guiada comigo pelo Parque do Retiro, de certeza que ouviste a lenda sobre a câmara do ouro!

O Banco de Espanha é o organismo do estado espanhol que atua como banco central nacional e é, juntamente com o Banco Central Europeu, o supervisor do sistema bancário espanhol.

Mas antes de aqui chegarmos, aconteceu muita coisa! Houve translado da sede de um lado para o outro e fusão de vários bancos, até chegarmos à entidade que conhecemos hoje em dia.

fachada principal do banco de espanha em madrid

História do Banco de Espanha e da sua fundação

A história do que viria a ser o Banco de Espanha que conhecemos hoje em dia começa em 1782, quando o rei Carlos III criou uma sociedade por ações, para instituições e particulares, chamada Banco Nacional de San Carlos e cujo objetivo principal era descontar os vales reais por dinheiro.

Um ano depois o Banco de San Carlos começou a emitir as suas primeiras notas, e as que são consideradas como as primeiras notas espanholas, chamadas cédulas. Ao contrário dos vales reais, estas cédulas podiam ser trocadas por dinheiro imediatamente e ao portador. Esta cédula durou até à Guerra Civil Espanhola e por esse motivo todas as notas tinham impressa uma legenda que dizia “El Banco de España pagará al portador…”, uma frase que sobreviveu até 1976, apesar de ter perdido o valor legal com uma lei de 1939.

nota antiga espanhola

Entre 1793 e 1814 Espanha esteve implicada em várias guerras que deixaram o Banco de San Carlos na falência, sobrevivendo até 1829, quando o Ministro das Finanças do rei Fernando VII com a ajuda dos acionistas do banco, paga as dívidas do banco e com o restante decide criar um novo banco, o Banco Espanhol de San Fernando, que passa a poder emitir notas em regime de monopólio em Madrid.

Em 1844, o Governo autoriza a abertura de um novo banco emissor de moeda, o Banco de Isabel II mas, três anos depois (1847) instala-se uma crise financeira internacional e o Governo decide resolver as dificuldades pelas quais passavam os dois bancos emissores de Madrid fundindo-os. A entidade que resultou deste processo conservou o nome de Banco Espanhol de San Fernando.

relógio e detalhes da fachada do banco de espanha
Relógio e detalhes da fachada

A 28 de Janeiro de 1856 o Banco Español de San Fernando muda definitivamente de nome para Banco de Espanha e nesse mesmo ano abre as primeiras sucursais em Alicante e Valência. Já em 1921 a Ley Cambó instituem o Banco de Espanha como o Banco Central de Espanha.

O Banco de Espanha teve a sua sede localizada em vários edifícios da ciade durante o século XIX, até que em 1882 começaram as negociações para a construção do edifício que conhecemos hoje em dia.

A primeira pedra foi posta a 4 de Julho de 1884, num ato ao qual assistiu o rei Alfonso XII, e o banco foi oficialmente inaugurado em 1891.

patio de operações do banco de espanha
Pátio de operações

Queres conhecer a cidade com uma guia que fala português?

Desbrava Madrid com uma das nossas visitas guiadas privadas!


 

Curiosidades sobre o Banco de Espanha

– O primeiro edifício do banco estava localizado na Praça Jacinto Benavente, entre a Calle de la Bolsa e a de Atocha

– No dia em que se colocou a primeira pedra, o buffet oferecido aos convidados foi feito pelo restaurante Lhardy, que ainda existe e está no activo (reserva aqui o teu jantar no Lhardy)

– Em 1884, a Plaza de Cibeles chamava-se Plaza de Madrid

– O custo do primeiro edificio, terminado em 1891, foi de 104.000€

– As colunas do andar principal, os medalhões, paineis talhados, cariátidas e balaustradas das varandas são feitas com mármores de Carrara (Itália)

– Um dos motivos escultóricos que mais se repetem em toda a fachada do edifício é o de um deus da mitologia romana, Mercurio, deus do comercio.

escadaria monumental do Banco de Espanha de Madrid
Escadaria monumental do Banco de Espanha

– Cada degrau da escada imperial está feito de uma única peça de mármore de 6 metros cada um

– O relógio da fachada, coroado pela bola dourada foi feito em Inglaterra

– A caixa forte utilizada para guardar a reserva de ouro custou 57.000€

– As portas da caixa forte são feitas de aço inoxidável

– Em 1936 o banco tinha 710 toneladas de ouro, a grande maioria em moedas e apenas 64 lingotes

– A caixa forte do ouro está a 35 metros de profundidade

biblioteca do banco de espanha
Biblioteca

– O primeiro banco, antecedente ao Banco de Espanha, foi o Banco Nacional de San Carlos (1782-1829), que teve entre um dos seus maiores accionistas a Francisco de Goya

– O Banco, desde a sua fundação e até à entrada do Euro, emitiu moedas com três nomes diferentes: reais, escudos e pesetas

– Os primeiros reais foram emitidos em 1856.

– O novo edifício do banco começou as suas operações uma segunda-feira, dia 2 de março de 1891, mas só foi inaugurado oficialmente no dia 3 de março de 1891

– Um terço das reservas de ouro espanholas estão no Banco de Espanha, em estantes construídas por Eiffel. O restante ouro está distribuido entre Fort Knox, Londres e Basileia.

maqueta completa do Banco de Espanha
Maqueta completa do Banco de Espanha

– Nas estantes da câmara do ouro espanhola estão acumulados 5400 lingotes de ouro puro, cada um deles de 12,5Kg com valor entre 600.000€ e 640.00€; 2000 lingotes irregulares, e o intocável ouro nazi (38 lingotes de ouro com uma suástica gravada), para além de outros objectos de valor como o primeiro maravedí com caracteres latinos do séc. XII.

Lenda da caixa forte e da fonte de Cibeles

Segundo conta a lenda, a caixa forte do banco encontra-se justamente por baixo da fonte de Cibeles, a 35 metros de profundidade. Entre a fonte e a caixa passam dois canais de água subterrâneos, o de Las Pascualas e o de Oropesa, este último é o que fornece a água da fonte mas, no caso de haver uma tentativa de assalto à caixa forte, ambos são redireccionados para o banco, inundando o fosso da caixa forte em poucos segundos e fazendo com que seja impossível escapar com vida.

uma das portas da caixa forte
Uma das portas da caixa forte

Para poder chegar ao interior da câmara blindada é necessário atravessar três porta de segurança blindadas, de 8, 15 e 16 toneladas respectivamente. Cada uma destas portas é aberta com duas chaves e dois códigos e é impossível abrir uma das portas se as outras não estiverem fechadas.

Além das portas blindadas, existem também sensores de movimento e câmaras de vigilância.

A caixa forte é tão indestrutível que durante a Guerra Civil espanhola foi utilizada como refúgio para as famílias que viviam no edifício do Banco.

interior da câmara onde se encontra o ouro
Interior da câmara onde se encontra o ouro

Guarda este artigo no Pinterest para o teres sempre à mão!

flecha azul separadora

PROGRAMA A TUA VIAGEM PARA MADRID

Reserva os teus voos baratos para Madrid através do Skyscanner.

Reserva o teu hotel no Booking, com toda a garantia e segurança de uma plataforma mundialmente reconhecida.

Faz uma visita guiada por Madrid comigo! Privada, personalizada e ao teu ritmo!

Descobre as melhores atividades de Madrid com a Civitatis! Entradas para museus, espetáculos e muito mais.

Chegaste ao aeroporto de Barajas e procuras um transfer privado para te levar ao hotel ou ao centro de Madrid? Aqui estão as melhores opções!

Contrata o teu seguro de viagens com a IATI através dos nossos links e recebe 5% de desconto!

Consegue até 39€ de desconto na tua primeira reserva no AirBnb com o nosso código.

Faz as tuas reservas através dos links parceiros que te deixo no final de cada artigo. Ao utilizares estes links NÃO PAGAS MAIS e ajudas-me a manter o blog, já que recebo uma pequena comissão por cada venda. Muito obrigada!



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 × 2 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.