Nem todas as pessoas que vêm a Madrid passam pelo Templo de Debod. Por estar um pouco mais afastado da rota turística, muitas vezes é deixado de fora. Talvez por preguiça, talvez por desconhecimento, ou se calhar porque – como diz a minha tia – “para quem já foi ao Egipto, isto não é nada…”.

Qualquer uma destas razões é válida, se bem que eu acho uma tontería não visitar este pedaço de história tão importante. E é por esse motivo que o incluo sempre no meu Roteiro de 2 dias por Madrid!

Há muita gente que pensa que o templo egípcio edificado no meio do “lago” em cima da Montanha de Principe Pio é apenas uma réplica. Mas não é verdade!

O Templo de Debod, assim se chama, foi um presente do governo egípcio ao Reino de Espanha pela sua ajuda na recuperação dos templos situados na zona da Núbia (situada entre o Sudão e o Egipto) e pela descoberta e catalogação de muitos achados arqueológicos importantes.

Mas afinal o que aconteceu?

Como todos sabemos, o Egipto sempre foi totalmente dependente do rio Nilo para a sua economia e agricultura. Sem este rio o Egipto seria apenas mais um pedaço do deserto do Sahara, sem qualquer possibilidade de agricultura ou de sustentar populações durante muito tempo.Mas os rios não têm sempre o mesmo caudal, e quando se iniciava o degelo das montanhas cerca do lago Vitória (onde nasce o Nilo), o rio subia… e muito! Afectava as populações e as aldeias…

Templo de Debod no seu local original (Francis Firth, Wikimedia Commons)

Por esse motivo em 1902 foi decidido construir uma barragem perto de Assuão, onde se situa a primeira catarata do rio Nilo. Com esta barragem as cheias deixariam de existir, ou seriam mais controladas, dando às populações um melhor nível de vida.

O problema é que com a construção da barragem de Assuão muitos templos menores situados nas margens do rio ficaram semi-submersos. Quando em 1961 a barragem foi novamente aumentada o risco de submersão completa tornou-se ainda maior, fazendo com que o Egipto em colaboração com a UNESCO pedissem ajuda internacional para a retirada dos templos dos seus sítios originais e montagem em zonas mais altas, onde ficassem a salvo.

Como agradecimento seriam oferecidos 4 templos menores aos países cuja ajuda monetária (e no terreno) fosse mais significativa.

Em 1968 o transporte do templo para Espanha é iniciado e em 1970 o país recebe finalmente o templo, desmontado pedra por pedra, com algumas fotos de como foi encontrado, todas com maus ângulos de visão. A única referência para que os arqueólogos o pudessem voltar a montar. Nada de instruções do IKEA, nada de saquinhos de parafusos, nada que lhes pudesse facilitar o quebra-cabeças.

Ajudado pelo facto de que muitas pedras se perderam ou foram danificadas durante o traslado, finalmente em 1972 a reconstrução foi terminada e o Templo foi aberto ao público.

Se quiserem mais informações sobre o templo, a sua localização original e muitos mais pormenores, aconselho a que visitem o site do Templo de Debod.

À volta do templo existe um pequeno parque arborizado e relvado onde, durante os meses mais quentes, é possível ver centenas de pessoas, seja a passear ou deitados na relva a relaxar.

Recomendo vivamente a visita ao templo um pouco antes do põr-do-sol, pois este é sem dúvida um dos melhores sítios em Madrid para assistir!

Hieroglifos no interior do templo

Desta última vez não entrei no templo, mas a entrada é GRÁTIS e lá dentro é possível tirar fotografias sem flash.

Os hieróglifos não estão conservados da melhor forma, mas com a ajuda de placares explicativos e luzinhas que acendem para nos mostrar onde está cada imagem, a coisa fica mais fácil de perceber!

No andar superior do templo é possível ver uma maqueta de como seria o templo completo e uma outra maqueta com o rio Nilo e a localização dos templos que foram salvos, incluindo o de Abul Simbel e da ilha de Filae (os mais importantes e também mais difíceis de transladar).

Maquete do Templo de Debod (Sanbed, Wikimedia Commons)

Horário de visita
De 1 de Abril a 30 de Setembro: De Terça a Sexta-feira das 10:00 às 14:00 e das 18:00 às 20:00 horas.
De 1 de Outubro a 31 de Março: das 09:45 às 13:45 e das 16:15 às 18:15 horas.
Sábados e domingos: de 10:00 a 14:00 horas.
Segundas-feiras e feriados: fechado.
Preço: Grátis
<Metro>: Plaza de España

flecha azul separadora

PROGRAMA A TUA VIAGEM PARA MADRID

Reserva os teus voos baratos para Madrid através do Skyscanner.

Reserva o teu hotel no Booking, com toda a garantia e segurança de uma plataforma mundialmente reconhecida.

Faz uma visita guiada por Madrid comigo! Privada, personalizada e ao teu ritmo!

Descobre as melhores atividades de Madrid com a Civitatis! Entradas para museus, espetáculos e muito mais.

Chegaste ao aeroporto de Barajas e procuras um transfer privado para te levar ao hotel ou ao centro de Madrid? Aqui estão as melhores opções!

Contrata o teu seguro de viagens com a IATI através dos nossos links e recebe 5% de desconto!

Consegue até 39€ de desconto na tua primeira reserva no AirBnb com o nosso código.

Faz as tuas reservas através dos links parceiros que te deixo no final de cada artigo. Ao utilizares estes links NÃO PAGAS MAIS e ajudas-me a manter o blog, já que recebo uma pequena comissão por cada venda. Muito obrigada!



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.